24 de mar de 2014

{Entrevista} Emmanuel Marques - Um olhar que te deseja e um coração que te ama

Olá pessoas! Como o título informa, hoje estou disponibilizando a entrevista que fiz com nosso autor parceiro, Emmanuel Marques, ao invés da resenha de seu livro "Um olhar que te deseja e um coração que te ama", já que o calendário das minhas provas escolares mudou e o do blog não, todavia não se preocupem, que de acordo com minhas loucas organizações, dia 1° de abril sairá resenha do livro.
Bem, obviamente, devido a minha correria, p post será simples, mas espero que gostem das perguntas e principalmente, das respostas do autor ;)
P.S.: Sim, foi uma entrevista longa, mas se você está interessado no livro do Emmanuel, é legal lê-la.



Skoob: Um Olhar Que Te Deseja e Um Coração Que Te Ama;
Autor (a) no Skoob: E. Marques;
Página do Livro: Um Olhar Que Te Deseja;
Perfil Pessoal Facebook: Emmanuel Marques;
Site: Emmanuel Marques;

Parceria: Emmanuel do Nascimento Soares Marques;
1. Há quanto tempo escreve? Quando surgiu a pretensão de publicar suas histórias?

R: Escrevo há muito tempo (risos). Quando criança criava historinhas curtas: novos finais pra Chapeuzinho Vermelho, a Branca de Neve e por ai vai. Tudo começou realmente a mudar de 2012 para cá, pois antes disso eu acreditava ser um simples leitor e fã de vários autores e não tinha noção de como iniciar um livro.
Em 2012 eu estava apaixonado por uma menina, que por sinal me correspondia então começamos a namorar e todos os meses eu gostava de surpreendê-la com algo de diferente, o tempo foi passando e em cada mês eu me superava, foi aí que tive a ideia de escrever um livro e dedicar para ela, fiz isso em segredo, porém tinha pouco tempo para me dedicar, muitas vezes virava de sexta pra sábado e sábado pra domingo me dedicando a estudos e desenvolvimento do conto. Quando estava quase terminando o romance, ela terminou comigo, fiquei muito triste e toda vez que tentava voltar a escrever eu me deprimia, então iniciei outro e neste me dediquei todos os dias, quase três vezes por dia, sempre andei com o caderno pra emergências (risos). Terminei meu primeiro livro em cinco meses e com mais três tinha assinado um contrato de um ano com uma Editora prestadora de serviços e adicionando mais seis meses tive meu livro pronto em minhas mãos.
Logo quando terminei de escrever, comecei a correr atrás das Editoras e nenhuma me dava resposta, foi então que me indicaram Mirian de Sales e sua Editora, a Pimenta Malagueta, que me fizeram a proposta de publicar o meu livro com investimento próprio, eles me ajudaram em tudo, me orientaram e os considero uma família. Meses depois algumas editoras começaram a entrar em contato comigo, porém estava satisfeito com a Pimenta, pelo valor que eles me davam e como me tratavam, eles não pegaram simplesmente meu dinheiro e me entregaram meu livro, eles “geraram” junto comigo meu primeiro filho e após o livro lançado eles ainda me ajudam muito.



2. “Um Olhar Que Te Deseja e Um Coração Que Te Ama” é seu único projeto? Se não, quais os outros?

R: “Um Olhar Que Te Deseja e Um Coração Que Te Ama” é meu primeiro livro “lançado”, mas tenho vários projetos ainda em construção como o primeiro livro que eu não concluí (o que iria dedicar a minha ex-namorada) e “Ei, sou um cafajeste”, que é o que me ocupa no momento, estou muito empolgado com este porque é um romance diferente, eu nunca vi nada parecido em lugar algum e os meus amigos que disponibilizei alguns capítulos me cobram os outros sempre, porém prefiro mesmo deixá-los curiosos. Existe também outro projeto que é “Janaina, a menina de olhos coloridos” que é uma das personagens deste meu primeiro livro que está no mercado, pretendo fazer dela neste projeto, a personagem principal e contar como foi a trajetória dela antes do que é mostrado em Um Olhar Que Te Deseja e Um Coração Que Te Ama”, porém este projeto ainda está na base.
Existem algumas informações e textos destes projetos em meu blog. (http://emmanuelnsmarques.blogspot.com)


3. Como foi o processo de escrita? Teve apoio? Desistiu em algum momento?

R: Bem gostoso, escrevia a todo tempo em qualquer lugar. Muitas vezes eu salvava um pensamento do personagem principal ou algum diálogo nos rascunhos do celular ou em cadernos, agenda e quando chegava em casa me dedicava no mínimo duas horas para pesquisa e desenvolvimento sem contar que eu andava com um “pen-drive” e quando podia, me dedicava também no trabalho.
Sempre tive apoio dos meus amigos porque eu escrevia e mostrava para eles, e eles sempre me incentivavam e cobravam, não é a toa que tem uma dedicatória com vários nomes nesse “primeiro filho” e até hoje sou grato por eles.
Pensei em desistir em vários momentos por causa do colégio (na época eu estava no IIIº ano) e eram tantas cobranças, vestibular, o trabalho, mas diversas vezes me pegava pensando em uma cena, um pensamento, na palavra certa e acabava não resistindo e abrindo o arquivo.


4. Você se vê em algum de suas personagens ou em alguma das situações que criou?

R: Sim. Todo autor deixa escapar algo de si em algum personagem. Talvez eu tenha deixado escapar algumas experiências, fantasias, vontades e revoltas em alguém, ou simplesmente tenha criado situações para instigar a leitura.

5. Você apoia, como escritor, leitor ou pessoa comum, algum projeto literário ou de outro tipo?

R: Não, porém tenho muito desejo me engajar em algo do tipo. Muitas coisas mudaram na minha vida após o lançamento do livro, de Publicidade e Propaganda mudei minha opção para Letras Vernáculas, irei cursar na UFBA, uma grande conquista pra mim, passar em uma Universidade Federal.

6. Como é a sensação de ter um livro publicado?

R: Não sei explicar, é algo muito bom. Sempre durmo com um exemplar debaixo no travesseiro e nem acredito que esta agora está sendo minha vida. Receber E-mail de pessoas que leram ou querem adquirir exemplares, conversar com as pessoas sobre algo que eu fiz é muito gostoso. Quando me lembro do evento de lançamento, muitas vezes chego até a me emocionar.

7. Você se inspira em algum outro escritor?

R: Claro, para grandes adeptos de obras literárias nacionais mundialmente reconhecidas, as leituras dos meus textos os farão lembrar-se de Jorge Amado, me inspiro muito nele, meu grande ídolo, li 18 dos seus 26 livros em apenas um ano.
Alguns leitores ainda me comparam ao estilo de Nicholas Sparks, já me disseram que temos o mesmo estilo de linguagem, e este também deve ter acrescentado algo em mim, pois já li todos os seus livros.


8. Que tipo de livros lhe agradam?

R: Bem, leio de tudo, porém não gosto de romances que fogem daquilo que pode ser possível. Gosto de romances com histórias onde as pessoas consigam se identificar e que as problemáticas podem realmente existir. Não gosto de nada relacionado a vampiros e lobisomens ou outros personagens fantasiosos “em livros”. Romances que fazem críticas sociais, psicológicas, ideológicas me chamam mais a atenção.
Agora em filmes (fugindo um pouco da sua pergunta) sou um adolescente normal (risos) assisti toda a série “Crepúsculo” nos dias de estreia e devo ter em casa outros filmes com temas parecidos.

9. O que espera com seu livro, que tipo de repercussão imagina que terá?

R: Bem, não procuro fazer expectativas quanto a isto afinal sei como é difícil ser um autor nacional aqui no Brasil, são poucos nomes que realmente se acendem na multidão, porém procuro dar o melhor de mim e estou disposto a fazer o que for preciso para mostrar meu trabalho. Sei que sou muito novo, tenho ainda muito que aprender, porém sei me dar com as críticas. Tenho sim sonhos e planos, mas tudo há seu tempo, apenas não quero precisar morrer para ter meu trabalho reconhecido (risos).

10. Tem um livro/saga favorita? Se sim, qual é?

R: Tenho dois livros favoritos, o primeiro é “Gabriela, Cravo e Canela” de Jorge Amado que aposto que muitos só chegaram realmente a conhecer esta obra com a exposição da TV Globo, lembrando que esta obra é reconhecida e valorizada em 54 países, explorei esse livro duas vezes, a primeira para fazer uma resenha do colégio e a segunda por passatempo, foi o meu primeiro livro de Jorge Amado. Meu segundo livro favorito é “O Casamento” de Nicholas Sparks, pois retrata uma história diferente, o romance é sobre a vida de um homem que luta para reconquistar sua esposa, reacender novamente o fogo da paixão, me emocionei bastante com o final.

11. Você tem algum Hobby em particular? Poderia nos dizer?

R: Escuto música o tempo todo. Eu posso esquecer documentos, dinheiro e até as chaves de casa, mas se eu perceber que meu fone de ouvido não está comigo, volto para casa correndo, gosto muito de músicas e atualmente acordo, almoço e durmo escutando “Royals”. Também gosto muito de comprar óculos escuros, eu tenho vários. Acredito que também não preciso enfatizar minha paixão pelos livros, sempre estou em uma livraria, lendo em casa ou até mesmo rabiscando (risos).

12. Você possui um ritual para ler ou escrever? Se sim, qual e se não, por quê?

R: Antes de escrever eu coloco músicas no quarto e deito para imaginar aquilo que pretendo escrever, depois parto para a ação. Quando estou escrevendo eu me torno o personagem principal, pois a narração é pela primeira pessoa então procuro escutar músicas, no momento do desenvolvimento, que se enquadram no perfil do personagem.
Para ler não tenho ritual algum afinal leio em qualquer lugar e em qualquer hora; no ônibus, na cama, no sofá...

13. Como você mesmo define seu livro?

R: “Um Olhar que te Deseja e um Coração que te Ama” é um romance diferente, o personagem principal passa por diversas transformações no decorrer do livro, ele amadurece, coisa que acontece com qualquer um, por isso muitas pessoas acabam se identificam com ele em algum fato, alguma atitude e isso aproxima o leitor da trama, o faz ficar ligado nos fatos. Felipe foi um personagem gostoso de incorporar na narração porque ele é igual a mim e muitos outros jovens. Uma leitora virtual entrou em contado comigo logo no início da sua leitura, se dizia apaixona por Felipe, no ápice dos fatos dizia odiá-lo e no final disse que se casaria com ele (risos), eu achei isso tão engraçado.

14. Como se sente sendo entrevistado? 

R: Muito nervoso, feliz, ansioso... É algo muito gratificante para alguém que está iniciando neste mundo. Cada pergunta me fez sorrir muito porque acabei me lembrando de como foi gostoso escrever este livro, de como foi a criação das principais cenas, das pesquisas, me lembrei de como tudo começou e isso só me fez criar forças pra não desistir.

15. O que acha da ideia de um blog literário? Acha que a parceria será uma coisa boa?


R: Sem dúvida, é algo maravilhoso. Minha opinião é que a literatura tem que buscar os novos leitores e escritores e a internet, as redes sociais são muito importantes. Os blogs literários vêm conquistando cada vez mais os jovens e os inserindo neste mundo maravilhoso. Parcerias devem ser feitas, o crescimento em conjunto cria laços de amizade que são importantes em qualquer área, a aproximação entre blogueiros, autores e leitores sustenta a literatura moderna e se as coisas continuarem assim, o gosto pelos mundos dos papéis nunca irá morrer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá leitor!!!
Obrigada por dividir sua opinião :*
Saiba que seu comentário muito provavelmente vai me deixar (Laryssa) pulando de alegria (literalmente, sou beeeeem exagerada :p).
Se você quiser que ele seja respondido, deixe um link, caso contrário, eu o responderei aqui mesmo no blog, tudo na medida do possível.
Beijoooooos *-*

Código by: The Dawn of Art Designs(http://thedawnofartdesigns.blogspot.com.br//) | Layout/Design by: Ana Zuky | Todos os direitos reservado ao blog Resenhas Teen