Resenha: Os Doze Guardiões da Luz - Laryssa

Olá pessoas! Então, hoje trago a resenha do livro "Os Doze Guardiões da Luz", que adianto a vocês, eu amei de uma forma um tanto contraditória. Caso queiram saber os detalhes que o livro possui nos inícios de capítulo e afins, a algum tempo fiz um post com fotos, que podem encontrar aqui. 

Título: Os Doze Guardiões da Luz;
Série: Os Doze Guardiões da Luz #1;
Autor (a): Luiz Henrique Batista;
Editora: Novos Talentos da Literatura Brasileira/Novo Século;
Páginas: 448;                  Nota: 4/5

Ambientado num mundo de fantasia, "Os Doze Guardiões da Luz" narra as histórias de heróis imortais que encarnam os doze signos do Zodíaco. Séculos após a grande guerra, que expulsou a Escuridão dos reinos do oeste, o povo e os heróis parecem ter se esquecido da ameaça que reside lá fora, além da fronteira das terras da Luz com os países da neblina. Alheios ao alcance dos tentáculos do inimigo, os Guardiões são pegos de surpresa quando a ameaça vem não de fora, mas de dentro do reino, justamente daqueles em quem mais confiavam: eles próprios.


Vamos começar com meus sentimentos perante o livro. Irei parecer "vira casaca", digamos assim, pois me senti estranha durante a leitura. Escrevo isso me referindo ao desagrado geral da leitura. Estive constantemente entediada, não via a mim mesma impressionada e meramente apreensiva com o desenvolvimento do livro, fazendo com que demorasse a terminá-lo. Porém, contrariando tudo isso, quando o desmembro, analisando cada elemento separadamente e após o processo, o vendo como um todo, estranhamente afirmo que o amei. É, podem me chamar de louca, entretanto, cada mínimo detalhe tem sua peculiaridade e a lentidão provinda do desenrolar e da própria narrativa, fez com que minha pessoa prestasse atenção aos detalhes e ao invés de a falta de surpresas irritar-me, acabou por ser agradável no final, trazendo assim um sentimento de completude.


Bem, saindo um pouco do foco das explicações sobre meus sentimentos, permitam que eu "desabafe", sobre os personagens. Durante o livro, como o Thiago (Entre Livros e Afins), fez o agrado de reforçar (sabe aqueles detalhes que você crê serem apenas frutos da sua imaginação?), o autor insiste em afirmar que são "Doze Guardiões da Luz", portanto, foram apresentadas doze personalidades diferentes, ou seria melhor dizer insinuadas, pois apenas alguns tem um real destaque durante o enredo, fazendo com que os outros surjam em momentos oportunos, porém não se manifestem ao ponto de poderem ser considerados "personagens principais".

Poucos sabem, entretanto adoro livros que possuem essas qualidades. Me refiro as diversas possibilidades de identificação e favoritismo. Como a muito tempo não fazia, pude me enfurecer, revoltar, entristecer, suspirar e tantas outras coisas durante a leitura, diante da troca de personagens. Esses, muito bem descritos e construídos. Não houve personalidades distorcidas ou "refeitas", como já em alguns livros, eles se desenvolveram, porém não deixaram de ser quem aparentavam no início da história. E nesse momento, deixo a vocês um pequeno comentário particular: existe ser mais irritante que dona Peixes? Será mesmo possível? Para quem leu o livro e talvez não entenda meu sentimento, aviso que não importa seus momentos finais, primeiras impressões de personagens são um tanto definitivas à mim. Portanto, caso algum dia me ouçam reclamar de algum que tenha um final "melhorado", não se assustem ou me julguem erroneamente. 


Sim, a tola aqui não mencionou que a narrativa é em terceira pessoa e passa por diversos pontos de vista. Alguns (muitos) livros acabam por pecar nesse sentido, fazendo com que opiniões se mesclem e acabem por transmitir atmosferas cansativas e repetitivas. Imaginem a chata aqui suspirando em alívio ao se ver completamente introduzida na história, sem qualquer indício de descontentamento. Isso também se deveu à escrita do Luiz. Lembram que eu comentei que gostava de narrativas um tanto densas, não muito "metidas" no sentido opinativo e com palavras mais incomuns? Adivinhem como o livro é escrito? Pois então, simplesmente maravilhei-me com a forma da história ser contada e os detalhes expostos, não há como dissertar muito referente á isso.

Quanto ao desenvolvimento do enredo, de forma geral ele é incrível, todos os pontos de romance são bem escritos, as cenas de ação "imagináveis" (sabem como sou limitada nesse aspecto) e bem planejadas, porém nos penúltimos capítulos, quando ocorre uma certa gradação em dado momento decisivo para a história (difícil comentar sem dar spoiler), a leitura tem um certo "que" de clichê, aspecto tão amaldiçoado por nós leitores, que não havia aparecido em todo o restante do livro. O fim em si não é surpreendente, entretanto, como havia dito no começo da resenha, acaba por ser perfeito e não apenas prometer uma continuação, mas também trazer certa expectativa para conflitos futuros.

Enfim, caso você goste de livros com ação, romance leve, personagens diferenciados e cuja história se passe em meio á costumes medievais, leia "Os Doze Guardiões da Luz" sem pensar duas vezes.

Comentários

  1. Olá.
    Nossa resenha/opinião bem feita e descrita ^^
    Olha eu realmente achei bem chatinha a peixes rsrs
    Aries me deu raiva mas no fim ele melhorou.
    Eu amei os três vilões e você? rsrs
    ótima resenha!
    bjus
    Tamires C.
    http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tatá! Obrigada!
      O fator intragável da Peixes meio que fez com que eu (pelo contrário do que se imagina) não pensasse tanto no Aries, porém o desfecho dele, apesar de clichê, foi perfeito. E sim, eu amei os vilões <3 Principalmente porque o autor não mudou as personalidades deles, só nos surpreendeu com as reais motivações e impediu que se tornassem "bonzinhos".
      Obrigada pelo comentário!
      Beijokas =*

      Excluir
  2. Olá!
    Vamos ser sinceras: você me deixou confusa hahahha
    Bem, o livro parece surpreendentemente ótimo com um toque de clichê. Todos os aspectos são bons e ruins ao mesmo tempo, o que torna a leitura cansativa e agradável. Foi isso o que eu entendi? HAHAHAHHA
    De qualquer forma, gosto de medievais e pretendo ler esse livro.
    Beijos,
    Karol
    http://heykarol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karol!
      Deixe-me ver se consigo esclarecer. Todos os aspectos são bons, apenas foram ruins PARA MIM, DURANTE minha leitura, entretanto, quando terminei e analisei a estória como um todo, percebi que gostei. E sim, a palavra é bem "percebi", porque o li sem pensar na resenha e quando vi, apesar de ter de criticar os elementos separadamente (sendo alguns cansativos), o livro foi ótimo. É realmente difícil de explicar, talvez pelo fato de a estranheza ser pessoal, e a analise não.
      Enfim, espero não ter dado um nó maior ainda e na realidade, foi basicamente o que você entendeu, faltou apenas o fator temporal e pessoal na sua conclusão.
      Obrigada pelo comentário!
      Beijos =*

      Excluir
  3. Oi Oi Ly *---*
    Adorei a tua resenha, cheia de opiniões e sem spoilers.
    Amei a capa do livro e antes de ler a resenha fiquei com vontade de lê-lo só pela capa e com a resenha que não expões muito que acontece no livro, deixando uma curiosidade enorme, minha vontade só aumentou.

    Bejos da Lua =*
    www.tyciahadiresenhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Oi Leti! ♥
      Obrigada mesmo!
      Pelo que conheço de você, com certeza amaria o livro!
      Beijos e obrigada por aparecer sumida :P

      Excluir
  4. Lindo blog, e adorei saber sobre este livro. Irei ler, certeza absoluta! Estão de parabéns! *-*

    ResponderExcluir
  5. A resenha não está nada ruim como você me disse pelo bate-papo dona Lary... Eu, como deve saber, tive a oportunidade de iniciar a leitura do livro, porém ainda não pude terminar, e por isso até entendi um pouco de seus sentimentos em relação a peixes. Quanto a narrativa da história, eu achei bastante convidativa, e a época em que se passa ás vezes é um pouco difícil de se narrar, pois acaba envolvendo todo um estudo para se saber como viviam as pessoas naquele tempo, imagino eu. Mas em Os Doze Guardiões da Luz, me parece que foi bem trabalhado...
    Bem, espero poder terminar logo de lê-lo ^^
    Abraços...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está estranha sim dono Bruno... Concordo no fator desenvolvimento e cá entre nós, com seu jeito calmo, duvido que no fim acabe irritado com a Peixes, não faz seu perfil, ao menos o atual. Puxe a orelha do Thiago para lhe emprestar o livro, porque vale a pena.
      Abraços... Abraços... Nem vou comentar.
      Beijos :P

      Excluir

Postar um comentário

Olá leitor!!!
Obrigada por dividir sua opinião :*
Saiba que seu comentário muito provavelmente vai me deixar (Laryssa) pulando de alegria (literalmente, sou beeeeem exagerada :p).
Se você quiser que ele seja respondido, deixe um link, caso contrário, eu o responderei aqui mesmo no blog, tudo na medida do possível.
Beijoooooos *-*

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Enquanto Houver Vida Viverei - Laryssa e Milena

Resenha: Letras Finais - Luís Dill - Gui

Resenha: A Outra Face - Deborah Ellis - Gui