Resenha: Feia, A História Real de Uma Infância Sem Amor - Gui

Olá leitores do blog! Tudo bem? Pois bem, trago até vocês mais uma das minhas resenhas! E, como sempre, trago a resenha de mais um livro que conseguiu me chocar e mexer com meus sentimentos...


Título: Feia, A história real de uma infância sem amor;

Autor (a): Constance Briscoe;
Editora: Bertrand Brasil;
Páginas: 364;                                    Nota: 4/5;

“Qual será o limite da maldade de uma mãe com sua filha?"
"Entreguei a minha fotografia, tirada na escola, para minha mãe. Ela olhava da fotografia para mim. De mim para a fotografia. Então disse: Meu Deus, como ela pode ser tão feia. Feia. Feia.Essas palavras cruéis são apenas o começo. A mãe de Constance foi sistematicamente violenta com a própria filha, física e emocionalmente, durante toda a sua infância. Apanhando e sendo privada de comida, Constance estava tão desesperada, que foi sozinha até o Serviço Social e suplicou por proteção. Quando isso não deu certo, tentou dar fim à vida, tomando alvejante, uma vez que era chamada de “germe” por sua mãe. Desenvolveu caroços nos seios, uma situação médica rara para uma criança, por conta dos beliscões nos mamilos e socos desferidos pela mãe. Quando tinha 13 anos, foi abandonada em casa por sua conta e risco: não havia gás, luz ou comida. Entretanto, de alguma maneira, Constance encontrou coragem para sobreviver. Esta é a sua comovente — e essencialmente triunfante e inspiradora — história. Pelo fato de ter relatado as memórias de sua infância em Feia, que já vendeu quase meio milhão de cópias em todo o mundo, Constance foi processada por difamação por Carmen Briscoe-Mitchell, sua mãe. No entanto, o júri foi unânime em reconhecer a veracidade da autobiografia, comprovada pelas cicatrizes, testemunhos e relatos médicos. Durante o julgamento, Constance disse que decidira escrever a sua história como exemplo de superação das adversidades e porque a sua mãe não merecia o seu silêncio.”

Um pouquinho sobre a autora: Constance Briscoe nasceu na Inglaterra, tem 56 anos e ficou conhecida a ser tornar uma das primeiras mulheres negras a presidir uma sessão de um tribunal do Reino Unido.

Então vamos lá, o livro Feia na infância e adolescência de sua autora, Constance Briscoe, principalmente no relacionamento conturbado que ela tinha com a sua mãe Carmen Constance, uma imigrante jamaicana que foi para a Inglaterra nos anos 50; se bem que “relacionamento” não é a palavra correta para definir o que elas duas tinham.

Durante boa parte de sua infância, adolescência e início da vida adulta, Clare (ou Constance, vocês vão entender) foi violentada, humilhada, machucada pela sua mãe de formas que nenhum ser humano pensa que uma mãe tem coragem de fazer com a filha; algo totalmente irreal, sem lógica e sem provocação.

“Escolhi a marca Domestos porque ela mata todos os germes conhecidos e a minha mãe vivia dizendo que eu era um germe.”

Enfrentando a humilhação de ser menosprezada pela mãe, subjugada pelos irmãos, ignorada pelo pai e maltratada pelo padrasto, Clare tenta viver sua vida da melhor maneira possível, sem entender o porquê sua mãe lhe odeia tanto e se agarrando ao seu maior sonho: cursar a tão desejada faculdade de direito.

Bem, como eu descobrir esse livro? Isso aconteceu no meu 3º ano do ensino médio, através da minha melhor amiga, uma fanática por livros e que não parava de ler. É óbvio que eu vivia zoando com ela e tirando dela o celular em que ela lia seus pdfs; sério, eu acho que por pouco eu não perdi meu braço numa dessas vezes, rsrs... Pois bem Valdeniza Vasques, se eu sou a leitora doida que sou agora, devo boa parte a você! Espero que esteja feliz! Rsrsrs...

“Obrigada traça de livros, sem você minha estante não seria tão grande!”

Então, esse era mais um dos livros que tinha na biblioteca e, como sempre, Val o emprestou e começou a lê-lo, eu me interessei pela capa e pelo título, mas, quando ela me contou sobre o que se tratava eu desisti de ler. Passado alguns meses, eu comecei a querer ler esse livro, mas todas as minhas iniciativas de emprestá-lo foram frustradas. Até que esse ano eu finalmente o encontrei, não resisti em comprá-lo!

Não foi uma leitura simples e normal, a história acaba mexendo com você. Assim como eu escrevi na minha última resenha, precisa ser muito insensível para não se compadecer de uma história assim. Enquanto muitas pessoas em condições de vida melhores que a de Clare resolvem desistir de tudo e de si mesmas, ela simplesmente continuou em frente, em busca de um futuro que fosse muito melhor que o seu passado. 

SPOILER: Não estou dizendo que ela não tentou desistir e acabar com tudo, só que, quando pessoas tem que viver, elas simplesmente têm que viver...

“E, quando a felicidade chegar, eu vou fazer minhas malas e vou com ela.”

Uma história linda, tocante e entristecedora... Há muito escondido por trás de um simples livro, a história de Constance, ou Clare, é maior do que se pode supor. O final do livro pode não ser tão bom, as se tem uma coisa que eu aprendi com os livros é que “Se você não gostou da história, sinto muito, mas ela não foi escrita pra você!”... E histórias assim acabam sendo as melhores...

Espero que gostem, boa leitura!

Comentários

  1. Demais a resenha!! Eu vi esse livro na livraria um tempo atrás mas acabei não comprando, optei por outro. Um daqueles vacilos sabe, mas tá na minha lista porque quero muito ler essa história.
    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Fabiano!
      Obrigada pelo seu comentário! Este é realmente um livro fascinante!
      Normal, eu precisei esperar meses para finalmente conseguir ele, mas valeu a pena...
      A história é muito boa, espero que você goste!
      Paz :D

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Hey, vim avisar que marquei o teu blog em um selinho.
    http://depoisdo-parasempre.blogspot.com.br/2013/07/selinho-versatile-blogger-award.html
    Beijos, Miles

    ResponderExcluir
  4. Tereza Porto 30 de Julho de 2013

    Li esse livro e me emocionei muito também. Nunca somos os mesmos após a leitura de um livro e esse, em especial, me transformou numa pessoa muito mais determinada, corajosa e motivada. Diante da hostória de Clare, sentimos que reclamamos demais por tão pouco. Leiam, vale muito a pena!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tereza..
      É verdade, livros assim tem o poder de mudar as pessoas. A história é linda e vai ficar guardada pra sempre na minha memória...
      Deus te abençoe! Paz :D

      Excluir
  5. Olá, bom dia.

    Hoje, é sábado. Na minha Sampa, estamos na Primavera. Tempo de frio e ventos, tudo juntos e misturados. Mas, certamente não falta o aquecimento humano em quaisquer lugar, onde encontra-se uma Alma, amiga e admirável.
    Por isso, desejo-te, um fim de semana bom. Com alegrias e contentamentos mil.
    Além do meu Sentimento de Amizade. Saúde e Paz. Estou te esperando, para falarmos do " tempo", lá na minha página.
    Um abraço, do tamanho dos seus sonhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá José.
      Obrigada pelo seu comentário e parabéns pelo seu blog!

      Excluir

Postar um comentário

Olá leitor!!!
Obrigada por dividir sua opinião :*
Saiba que seu comentário muito provavelmente vai me deixar (Laryssa) pulando de alegria (literalmente, sou beeeeem exagerada :p).
Se você quiser que ele seja respondido, deixe um link, caso contrário, eu o responderei aqui mesmo no blog, tudo na medida do possível.
Beijoooooos *-*

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Enquanto Houver Vida Viverei - Laryssa e Milena

Resenha: Letras Finais - Luís Dill - Gui

Resenha: A Outra Face - Deborah Ellis - Gui