Resenha: O Retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde - Bell

Título: O Retrato de Dorian Gray;
Autor: Oscar Wilde;
Editora: Landmark;
Páginas: 240;


Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian Gray torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Dorian Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lorde Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz Dorian Gray supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade.


É um livro que desperta sentimentos totalmente contraditórios, eu simplesmente odiei Dorian e suas atitudes, não por ele ser um personagem mal construído, muito pelo contrário, foi exatamente por ele ser um personagem bem construído, e por ter atitudes surpreendentemente horríveis e mesquinhas. Você simplesmente ama o livro por ter personagens completamente odiáveis.

A trama basicamente gira em torno de três personagens: Basil Hallward, o pintor que faz o retrato de Dorian; Dorian Gray, nosso grande protagonista, dotado de uma beleza incrível e Lorde Henry, que é basicamente o culpado pela degradação de Dorian Gray.

Basil é a típica pessoa certinha. Alguém que não pensa o mal dos outros e vive uma vida regrada. Ele é exatamente o equilíbrio entre os personagens. Ele tem uma grande admiração, ou melhor, veneração por Dorian Gray. Veneração que, diga-se de passagem, beira a paixão.  

Lorde Henry, para mim tem o papel de Diabo. Com seu jeito fascinante, capaz de dizer os maiores absurdos de forma adorável e instigante. Com seus discursos sobre a satisfação dos prazeres e a liberdade das vontades sem nenhum tipo de amarras ou pudor. Todos adoram o jeito irreverente de Lorde Henry.

Dorian apesar de muito inteligente é completamente influenciável. No começo Dorian é simplesmente leviano, um típico garoto esnobe e extremamente lindo com a inocência despreocupada de um garoto rico que tem tudo o que quer. Porem, ao conhecer Lorde Henry ele é completamente envenenado por suas filosofias e teorias destrutivas e envolventes.

Quando Dorian vê o seu retrato ele constata duas coisas, primeiro, que ele realmente é belo em plena juventude, segundo, que isso um dia iria acabar. Um estranho pedido, feito por Dorian em completo desespero, torna-se realidade. Aquele já não era apenas um retrato. Era o espelho da sua própria alma.



"Mas e o retrato?! Que pensar daquilo? Possuía o segredo da sua vida e revelava a sua historia. Ensinara-o a amar sua própria beleza. Iria também ensiná-lo a odiar sua própria alma?"

Você acompanha a personalidade de Dorian sendo moldada, absorvendo cada palavra de Lorde Henry como se fosse verdade absoluta. Muitas vezes odiei Dorian por seu egoísmo e seu egocentrismo, culpando uns e exaltando outros, que na minha concepção deveria ter sido o contrário. E quando você acha que não há mais nada pra acontecer, ele simplesmente nos surpreende fazendo algo que, sinceramente, eu não esperava. Nem mesmo se demonstra arrependido, pelo contrario, ele se acha no direito de dar toscas justificativas e se sentir em paz com isso.



"Cada um de nós leva dentro de si mesmo o céu e o inferno, Basil!"

É um livro com grande teor filosófico e muito reflexivo também. Algumas partes eu achei cansativo devido a longas descrições sobre a arte e etc, mas é uma leitura que vale muito a pena.

Eu gosto de ler os Clássicos e ter minhas próprias conclusões sobre eles, e não ficar apenas com a limitada interpretação do cinema (que na maioria das vezes modifica detalhes importantes), por isso que os leio e gosto de incentivar  a leitura.

Espero que leiam e que amem esse livro tanto quando eu.

Beijinhoos,

Bell

Comentários

  1. Oi tudo bem?
    Eu ainda não conhecia o livro,mas gostei bastante da sinopse e a capa...
    Muito boa a resenha!
    bjus
    Tamires C.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tamires!
      É um livro realmente bom. Vale a pena a leitura.
      Beijinhoos
      Bell

      Excluir
  2. Oie! Eu tô pensando em começar a ler uns clássicos que tenho curiosidade, e esse stá entre eles. Amei a resenha, e voce conseguiu mesmo me convencer de vez a lê-lo!

    Beijokas
    escolhasliterarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é realmente apaixonante. É um Livro que te faz pensar e eu fiquei mesmo com vontade de ler outros Livros do Oscar Wilde.

      Excluir
  3. Sou louca para ler esse livro, já vi o filme é adorei! Amei a resenha.

    Beijos
    Jacilene - enaspaginasdeumlivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se gostou do Filme, com certeza vai gostar do Livro. Super recomendo!

      Beijooos
      Bell

      Excluir
  4. Esse foi o livro que me introduziu na literatura. Para dizer a verdade o começo me incomodou bastante na época, mas o livro é excelente.

    E é dele a única citação que nunca saiu da minha mente, frequentemente leio frases e passagens ótimas, mas que se vão da memória tempos depois (embora o sentido fique em algum canto obscuro da minha cabeça):

    - Definir é limitar

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá leitor!!!
Obrigada por dividir sua opinião :*
Saiba que seu comentário muito provavelmente vai me deixar (Laryssa) pulando de alegria (literalmente, sou beeeeem exagerada :p).
Se você quiser que ele seja respondido, deixe um link, caso contrário, eu o responderei aqui mesmo no blog, tudo na medida do possível.
Beijoooooos *-*

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Enquanto Houver Vida Viverei - Laryssa e Milena

Resenha: Letras Finais - Luís Dill - Gui

Resenha: A Outra Face - Deborah Ellis - Gui