Resenha: Jane Eyre - Charlote Brontë - Rafa

Título: Jane Eyre;
Autor (a): Charlote Brontë;
Editora: por serem quase trinta edições diferentes, não iremos por alguma;
Páginas: média de acordo com as edições: 393;

Jane Eyre é uma menina órfã que vive com sua tia, a sra. Reed, e seus primos, que sempre a maltratam. Até que, cansada do convívio forçado com a sobrinha de seu falecido esposo, a mulher envia Jane a um colégio para moças, onde ela cresce e se torna professora. Com o tempo, cresce nela a vontade de expandir seus horizontes. Ela põe um anúncio no jornal em busca de trabalho como governanta. O anúncio é respondido pela senhora Fairfax, e Jane parte do colégio para trabalhar em Thornfield Hall. Lá, ela conhece seu patrão, o sr. Rochester, um homem brusco e sombrio, por quem se apaixona. Mas um grande segredo do passado se interpõe entre eles.


Peguem a Inglaterra no século XIX, uma mulher guerreira, uma narrativa sublime, uma autora brilhante e misture tudo, então temos "Jane Eyre". Sou suspeita demais para dizer o quanto amei esse livro. Inglaterra, romance e irmãs Brontë? Só podia dar coisa boa! Jane nossa mocinha da história representa aquelas mulheres que por muitos anos lutaram por algo. Hoje somos bombardeados por personagens chamados de "mongos" e "chorões", sim tenho meus momentos depressivos que ter um destes livros ao lado me faz bem, entretanto acredito que um personagem forte e de muita personalidade seja o que me chama mais a atenção. A construção destas figuras deve ser de grande maestria, e bem, estamos falando de Charlotte Brontë, que nos passa sua genialidade através de seus romances.


Voltando ao foco principal, Jane Eyre é uma garota de apenas 18 anos de idade que encontra sua independência, contudo aparece um homem, seu patrão, que vai vira-lhe a vida de cabeça para baixo novamente, essa sua paixão e descontentamento em torno de Edward é toda contada em primeira pessoa, ela se refere a nós como "leitor", o que me chamou muito a atenção se formos comparar com outros romances da literatura inglesa daquela época, você de certa forma se aprofunda mais ainda na história ao ponto de ler o livro em dois dias, como eu fiz, é daqueles livros que você só larga para ir dormir. Outra coisa que eu apreciei da obra, foi a delicadeza com que ela tratou o romance dos dois, muito realista, mas com um toque de contos de fada. 

"Tornei a me deitar, mas sabia que não iria dormir. Fiquei navegando, até amanhecer o dia, num mar de ondas inquietas , onde correntes de problemas passavam sob as ondas de felicidade."
Outro aspecto que não posso deixar de falar é a mistura de "mistério" em torno da história, Edward guarda um segredo, enquanto isso começam a ocorrer coisa estranhas em Thornfield 

o que te deixa mais intrigado e com mais vontade de ler.


"O relógio, lá embaixo, no vestíbulo bateu duas badaladas. Nessa hora tive a impressão de algo tocando a porta do meu quarto, como se mãos se apoiassem na madeira, enquanto alguém se arrastava pelo corredor escuro."
O que me desgostou um pouquinho, foi que muitos trechos eles conversam em francês, boiei bonito, entretanto me incentivou a procurar o que aquelas palavras queriam dizer.

É com um pouquinho de receio que digo que "Jane Eyre" conseguiu me cativar mais do que "Orgulho e Preconceito", da Jane Austen, que até um tempo atrás era meu livro preferido.

Como é um clássico literário, muitas editoras compraram seus direitos, mas o livro foi publicado originalmente na Inglaterra no ano de 1847, e até hoje está no mercado literário. Talvez isso indique que as pessoas devam compra-lo e desfrutar do mundo de Jane Eyre (e um pouquinho do de Brontë).


Beijos!

E aqui é a Lary se metendo no post. A Rafa fez referencia as várias edições, então estamos pondo uma montagem com as que encontramos cadastradas no skoob, ok? Bye :P







Comentários

  1. Amo essa história! Mas só vou comprar o livro quando puder comprar aquele volume de capa dura. s2
    Sua resenha ficou ótima! Apesar da voada nas partes em francês (porque diabos deixaram em francês?????) kkkkkk

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também quero muito essa edição.. A minha é edição de bolço mesmo ¬¬
      Obrigada pelo elogio =)

      Excluir
  2. nossa tem várias edições mesmo! Fiquei curiosa, gostei da resenha!
    http://coisasdebelaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Sou apaixonada pelo livro, desde que li, decidi que a Charlote é a minha irmã Brontë favorita. Morro de vontade de comprar ele, mas até hoje não encontrei em nenhuma livraria, emprestei o da biblioteca da minha escola pra ler :/

    Tem várias adaptações pro cinema, a mais recente é de 2011, já assistiu? É um ótimo filme e "obedece" bastante o livro.

    Sua resenha ficou ótima.

    Beijos, Tati
    http://balanconasestrelas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá leitor!!!
Obrigada por dividir sua opinião :*
Saiba que seu comentário muito provavelmente vai me deixar (Laryssa) pulando de alegria (literalmente, sou beeeeem exagerada :p).
Se você quiser que ele seja respondido, deixe um link, caso contrário, eu o responderei aqui mesmo no blog, tudo na medida do possível.
Beijoooooos *-*

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Enquanto Houver Vida Viverei - Laryssa e Milena

Resenha: Letras Finais - Luís Dill - Gui

Resenha: A Outra Face - Deborah Ellis - Gui