Resenha: As Traças - Laryssa


Título: As Traças;
Autor (a): Cassandra Rios;
Editora: Editora Brasiliense (2005), Record (1985) e outra em 1975.
Páginas: 298;
Status no Fim da Leitura: Simplesmente satisfeita com o conteúdo do livro.

Neste romance, publicado pela primeira vez há mais de vinte anos, Cassandra Rios aborda um tema de sempre, mas que só recentemente tem sido relatado mais abertamente na TV e na mídia brasileira; o amor entre duas mulheres. Numa época em que não se podia falar publicamente sobre lesbianismo e outras formas alternativas de amar, o presente romance pôde ser concebido como um verdadeiro manual - um catecismo amoroso, com dicas de locais e advertências contra certos perigos à comunidade. O público, assim como a personagem central, Andréa, é iniciado numa jornada interior de auto-descobrimento e afirmação. 

Para começar, já aviso que não quero ofender ninguém com essa resenha. Escolhi com cuidado as minhas palavras. Que venham os gritos então.

Vamos a um resumo sobre o assunto geral do livro.

Lésbicas e toxicômanos. Ele trata do relacionamento de alunos e professores, o estresse que surge quando o adolescente percebe a duvida sobre sua orientação sexual. É nesses "calos", tão proibidos na época em que o livro foi escrito, que Cassandra Rios toca. De uma maneira inebriante e com uma linguagem que eu poderia dizer poética, ela destaca os fatores mais polêmicos até mesmo nos dias de hoje.

Uma coisa que admiro, é quando um autor trata os seus personagens com realismo. Ela não tentou fazer com que Andréia, a protagonista, fosse feliz. Só demonstrou a realidade do que uma garota tão nova pode fazer com a própria vida. Não me senti inclinada a criticá-la em nenhum momento do livro. E por que declaro isso?

Andréia é lésbica. E garças a acontecimentos durante o livro vêm a ser uma toxicônama (pessoa viciada em remédios, na linguagem popular). A meu ver, esses são assuntos polêmicos que nem todos os escritores teriam coragem de abordar. Principalmente em 1975, que é o ano do meu livro. Não tenho certeza de como as pessoas reagiram a ele naquela época. Porém, para mim, digo: o livro é bom. Não ótimo, porém com certeza me deixou a vontade com a trama e o modo como os fatos se seguiram, sem contar a FRASE final surpreendente que fez com que minha opinião sobre certa personagem mudasse de uma forma indescritível.

Agora, um aviso. Há cenas de sexo no livro. Muitas. A maioria lésbico, porém não em totalidade. A autora não usou palavrões fortes, apenas os simples, que estão se tornando parte do vocabulário padrão ano meu ver. Ela também não se ate a muitos detalhes, ela prefere descrever sensações maneira "louca", com exemplos estranhos, de modo que é possível lê-las e esquecer-se do que fazem parte.

Não vejo um grande motivo para se por um aviso de faixa etária, principalmente se considerarmos o fato de que o sexo não esta tão explicito e que ao se analisar a moral da história, ela acaba sendo quase um aviso para os perigos que a vida adulta pode trazer e uma repreensão a todos que possui algum preconceito contra qualquer gênero de pessoa.

Outras capas:

Comentários

  1. Eu nunca li um livro com esse enredo..

    Beijinhos de um novo ano repleto de realizações para vc!!
    http://marlicarmenescritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá leitor!!!
Obrigada por dividir sua opinião :*
Saiba que seu comentário muito provavelmente vai me deixar (Laryssa) pulando de alegria (literalmente, sou beeeeem exagerada :p).
Se você quiser que ele seja respondido, deixe um link, caso contrário, eu o responderei aqui mesmo no blog, tudo na medida do possível.
Beijoooooos *-*

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Enquanto Houver Vida Viverei - Laryssa e Milena

Resenha: Letras Finais - Luís Dill - Gui

Resenha: A Outra Face - Deborah Ellis - Gui