[CONTO] Carta à um desdém.

Olá fanáticos! Aqui é a Priscila, e hoje vim trazer mais um dos meus textos doidos.

Carta à um desdém.

                                                      
                                                                 Olá Querido.


Tudo bem?

Esta manhã passei em frente ao seu prédio, e o destino me fez ver-te na janela. Não fique assustado, eu não estou chateada com a cena que vi. [...]
Enquanto você admirava a bela garota de longos cabelos castanhos que ao seu lado estava, lá de baixo eu observava-lhe. Cabelos desgrenhados e arrepiados do jeito que eu adorava fazer com minhas próprias mãos, provavelmente tinha
 acabado de acordar; lábios inchados como de costume em época de frio; estava com a testa enrugada, como sempre fica quando o assunto não te interessa. Ah... Reparei em tantas coisas. Tenho certeza de que essa garota não sabe desses detalhes, porque ela parecia empolgada com o tal assunto discutido. Para falar a verdade, acho que sou a única "besta" que repara neste tipo de coisa.
O fato de você estar na sua casa, com um linda garota, logo pela manhã me deixou triste, mas tinha algo ali que era pior do que isso... Seu olhar, sua expressão. Eu sei que você prometeu pra ela as mesmas coisas que para mim, não coisas clichês, até porque você sempre fugiu disso para ser mais convincente, porém eu sabia, e como sabia que você era indiferente com todas. O mesmo olhar frio... A mesma expressão de solidariedade, como se
estivesses a dar comida a uma criança faminta... Os movimentos ensaiados junto com as palavras de derreter qualquer boba como eu... O sorriso de lado mais gasto do que a sola do meu tênis... E só agora isso veio a me incomodar. Insignificância é uma palavra muito forte para descrever sua presença neste mundo? Ou ela ainda é pouca perto de ti? Ainda tenho minhas dúvidas. Melhor eu parar por aqui. Minha paciência está à se extrapolar a medida que vejo o quão és repugnante.
Isso não irá te atingir, sei muito bem que andas com a alto estima a mil. Mas me sinto bem melhor. O fato de você saber que seu feitiço é temporário me deixa borbulhando de paixão pela vida. Ironia, não? Quando eu achei que tinha perdido minha vida, que na época eu achava que era você, eu acabei de saber que, na verdade, eu a descobri. E vou mantê-la bem longe de você e destes teus beijos quentes que me deixam louca. Espera, nada de recaídas.
Eu te odeio. E fim.


                                       Uma grande pisada no pé da sua inconfundível escritora.

                                                                            Priscila Barros.

Comentários

  1. Adorei o texto!! :) Muito bom! Gostei muito!
    Beijos!! ^_^

    ResponderExcluir
  2. OMG, quero mais desses!!! Muito bom A-D-O-R-E-I!!!
    Bjinhos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá leitor!!!
Obrigada por dividir sua opinião :*
Saiba que seu comentário muito provavelmente vai me deixar (Laryssa) pulando de alegria (literalmente, sou beeeeem exagerada :p).
Se você quiser que ele seja respondido, deixe um link, caso contrário, eu o responderei aqui mesmo no blog, tudo na medida do possível.
Beijoooooos *-*

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Enquanto Houver Vida Viverei - Laryssa e Milena

Resenha: Letras Finais - Luís Dill - Gui

Resenha: A Outra Face - Deborah Ellis - Gui